Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de março de 2014

VIDA DE PROFESSOR - ANÁLISE DE UMA IMAGEM


Das muitas imagens que expressam a vida de um professor, essa acima, cuja autoria ainda não consegui descobrir, é de uma felicidade extrema. Isto porque podemos fazer várias interpretações relacionadas à vida e ao reconhecimento ou à identificação de um professor na atualidade. Explicitemos, esquematicamente,  duas possibilidades de interpretação, lembrando que as mesmas não esgotam toda a análise de realidade de quem a desenhou tão criativamente.

1. VIDA DIFÍCIL DO PROFESSOR - Enquanto todos dormem e descansam, o professor está acordado - acordado por diferentes motivos: estudando, preparando aulas, corrigindo provas, etc. Acredito ser muito comum no Brasil o avanço pela madrugadas, trabalhando pela qualidade de um trabalho; isto porque as chamadas horas-atividade são cumpridas com outras coisas que não propriamente o lado didático-pedagógico do ensino. Quase sempre a escola não oferece, dentro dos seus limites, condições objetivas para que o professor leia, estude, prepare suas aulas, etc. Veja-se também que o prédio nada tem de sofisticado, conotando um bairro popular, proletário.

2. LUZ NA ESCURIDÃO - A luz é uma forte metáfora para o conhecimento. Vários pensadores já disseram que conhecer é sair da escuridão para enxergar objetivamente (com luz, "iluminadamente") os fenômenos e acontecimentos. Neste caso, é sempre bom lembrar que um dos mais significativos compromissos de um professor é a sua relação permanente com o conhecimento, esquivando-se da ignorância, buscando permanentemente a razão de ser dos fenômenos através da "luz acesa". (A posição do quarto do professor, mais ao alto, também abre caminho para, talvez, a sua posição superior de autoridade numa sociedade).

Certamente que os leitores desta ligeira análise poderão ver e entender a imagens de outras maneiras, por outras vertentes. Seria interessante que, a seguir, na seção de comentários, essas outras maneiras fossem evidenciadas para um maior enriquecimento do olhar de todos. É assim mesmo que a leitura se faz: em rede, cruzando olhares em torno de um ou mais textos.



Um comentário:

Adileide Martins disse...

Ao acompanhar essa análise, me enxerguei perfeitamente nela. A correlação que é feita do professor com a luz no alto dos prédios("no fim do túnel"), é perfeita. Ao corrigir as atividades ou planejar aulas - o que acontece geralmente na madrugada, sei que muitos dos meu alunos estão dormindo enquanto estou pensando no dia seguinte deles. Obrigada pela contribuição!