Pesquisar este blog

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

LEITURA NO ORKUT & CIA.

Entrevista para reportagem no Jornal Saiba, DA PUC-CAMPINAS

O jargão “saia do Orkut e vá ler um livro já é conhecido por muitos internautas”. O Skoob pode ser um caminho inverso, ou seja, pode auxiliar na formação de um hábito de leitura ou até mesmo complementar deficiências educacionais (acrescentar culturalmente)?

EZEQUIEL  O hábito de leitura nasce e se desenvolve, entre outros fatores, a partir de boas conversas que se faz em torno dos livros. Escolhemos e lemos livros (ou similares) a partir de indicações feitas por diferentes fontes: resenhas, resumos, propaganda, amigos, professores, etc. Uma das fontes mais influentes é, sem dúvida, a sugestão feita por nossos círculos de amigos e conhecidos. O Orkut e Skoob nada mais são do que redes sociais entre pessoas que se conhecem e, portanto, quando se voltam para a referência de livros, elas podem se transformar em fortes instrumentos para o nascimento e fortalecimento de hábitos de leitura. Quanto ao acréscimo de cultura, isto vai depender dos tipos de indicações que são feitas entre as pessoas, lembrando sempre que nem sempre os livros atendem a critérios culturais ou artísticos, podendo mais emburricar do que esmerar a inteligência de um indivíduo.

Qual a potencialidade da Internet para o hábito da leitura? Em sua opinião, ela é bem empregada?

EZEQUIEL  Igual a todo veículo de comunicação (TV, rádio, imprensa, livro, etc,), a Internet veicula bons e maus conteúdos. Há que ser seletivo para que o internauta possa desenvolver um hábito de leitura digno desse nome. Minha posição a respeito desse assunto é o de que a Internet deu um salto extremamente positivo, revolucionário para a democratização da escrita entre os povos. E a escrita veicula conteúdos de conhecimento, arte e ciência. Além disso, a Internet forçou a aprendizagem da leitura e da escrita, pois a sua base é alfabética. Ou seja: quem não souber ler e escrever não participa das conquistas da Internet. Há que lembrar ainda que quando se fala de hábito de leitura, pensa-se sempre na leitura de livros impressos; esse conceito precisa ser modificado, estendendo-se para a leitura de outros tipos de veículos e linguagens. Sem dúvida que o uso de um veículo pode levar a outro (do virtual ao impresso, por exemplo), o que adensa ainda mais as competências do leitor, contribuindo para a força do hábito de leitura.

Informações:

O Skoob é uma rede social recente: foi criada em janeiro de 2009 pelo analista de sistemas Lindenberg Moreira. Nela, os usuários criam estantes virtuais com as obras que já apreciaram ou que ainda pretendem ler. Há também alguns atrativos: um paginômetro que marca o número de páginas que uma pessoa já leu durante a vida (uma boa estimativa ao menos); espaço para publicar e ler resenhas; grupos de autores ou preferências literárias. Mais do que fazer amigos e poder trocar de livros com outros usuários, observei também a presença de autores já conhecidos e de autores que utilizam a ferramenta para divulgar seus trabalhos (como a presença na Bienal em SP).

Números da rede: aproximadamente 215 mil usuários;
Sexo: 65% são mulheres
Faixa etária: 34% possuem entre 25 e 35 anos.
Localização: O Estado de São Paulo possui 42% dos usuários, seguido do RJ com 23%

Nenhum comentário: